sábado, 6 de agosto de 2016


Para Luck

Numa pele, num pelo, numa palavra perdura o amor
No que era apenas uma boca no infinito dos desejos, um corpo, uma cor, fios crespos de cabelo, perdura o amor
No amor se transmutam e perduram palavras, ações, cheiros, dia-dia, cotidiano
A palavra amor, ao contrário das coisas tangíveis,  não se desgasta

Assim como na fonte perduram as pedras e o adormecimento da terra
Assim como na terra perduram as núpcias do céu e da terra
Assim como no vinho perduram a fé, o temor, as núpcias e o amor dos loucos e febris
Assim como na jarra que abriga o vinho e a água perduram a fruta, o céu e a terra

No amor perdura a paz, a desordem, a dor, a alegria, o encanto, o desencanto, a desilusão, a ilusão

O amor integra num só golpe a terra e o céu, os divinos e os mortais junto a si.
O amor integra e perdura numa pele, num pelo, numa palavra
O amor integra e perdura no que era apenas uma boca no infinito dos desejos, um corpo, uma cor, fios crespos de cabelo
O amor se transmuta e perdura em palavras, ações, cheiros, dia-dia, cotidiano

Amor é kairós, é cíclico, foge à cronologias. Que o amor seja eterno enquanto perdure...

Nenhum comentário: